terça-feira, 23 de dezembro de 2008

do meu caderno de aflições:

Gosto de abrir meus diários velhos e extrair deles toda a intensidade dos sentimentos que tinha naqueles momentos: Angústias, solidão, paixonites e esperanças, muito fortes como se todas as vezes fossem AS VEZES, com caps lock ativado.
Como me entrego, como sinto profundamente tudo, a raiva, paixão, obsessão. Sinto até o fim!
Quando apaga é o fundo do poço, tudo parece escuro e sem saída, mas com um pouco de tempo as coisas mudam e as linhas se enchem de esperança.

2 comentários:

Mari Proença disse...

Nossa Ju, nem me fala de diários antigos. Eu nem sei mais o que escrevia porque era tudo em código hahahaha. Mas as emoções mais fortes eu me lembro até hoje...mto bem lembrado!..Bjsss

thais disse...

USHUAHSUAAUHS taaa parecendo EU// hahah ps: siim eu estou lendo seus post mais antigo